31 de mai de 2010

Pretérito Imperfeito

.Outro lado, nós.
Fechar os olhos e dormir não foi solução.
As memórias, as quais sempre deixo trancadas na gaveta
Depois de tentar entendê-las, dessa vez,
Encontraram uma maneira de escapar
E encontrar talvez alguma outra parte semelhante,
A qual não me pertence.
Ora, quem diria,
Dessa vez chegamos bem mais perto,
"Ele disse que..."
Confusos, porém saudosos,
E aquelas coisas só nossas
Ainda estavam ali, aguardando por uma oportunidade
Antes nunca dada,
Novas mãos e consolos que nasceram, e elas
Sempre ali, como nós, esperando.
A sempre presente saudade
E o que tinha tudo para ser
Presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário