24 de out de 2011

Inconstância


Eu sumí do meu consciente, meu tálamo estava estável, sem qualquer tipo de alteração, não pensei em nada disso ou daquilo, parecia estar nas nuvens, sim, aquelas nuvens que eu teimo em querer estar, eu estava certa daquilo, pela primeira vez..... maaas, daí eu acordei e virou tudo de pernas pro ar, da mesma forma, mesmo trajeto confuso no qual não consigo decifrar, parece uma encruzilhada, não sei se vou pro Norte, Sul, Leste ou Oeste.

26 de set de 2011

Mais um...


Por favor, me traz mais um copo d'água, eu sei que já é o quinto, mas eu preciso tomar pra descer essas palavras não ditas, encurraladas.
Eu não quero falar, pretendo esconder até onde eu puder, porque se eu disser eu vou me arrepender, eu sei, eu já ví essa cena antes, é o mesmo trailer.
Odeio essa minha mania de achar que estou no caminho certo, e sempre caio, no mesmo labirinto, aquele que já estive outras vezes, vezes que demorei pra sair, preciso achar o caminho de volta, aqui não é o meu lugar.
Palavras ditas pela metade com sentido de inteiras me confundem e me enganam, procuro por palavras inteiras, aquelas as quais eu quero que a água faça descer.

Ela há de descer.

13 de jun de 2011

Hey!


Stop...

Volta tudo, esqueceram de reiniciar minha minhas memórias aversivas.
As lembranças que quero apagar não se foi como eu mandei, me obedeça.
Meu inconsciente está consciente agora, meu hipocampo está sendo injusto comigo.
Eu não quero mais lembrar disso, eu ja falei. Eu quero voltar no inicío e fazer tudo do meu jeito, eu caí, mas aprendi. Agora volta tudo e me trate com hipnose porque eu não quero entender e nem ver tudo isso de novo, use a teoria de Freud. Minha amígdala não faz o que eu mando, eu quero ser justa agora. Quero abrir meus olhos e ver o por do sol, ver que estou abandonando a minha natureza interior. Mas me tire daqui primeiro, eu não tenho controle sobre isso, quando eu passar essa ponte eu vou me sentir com poderes de herói.

5 de abr de 2011

Passa-Tempo


Os dias estão passando muito rápido que nem percebo tudo que está sendo deixado, parado, eu vou seguindo em frente sem olhar pra trás, o tempo não para e eu quero continuar em frente porque se eu parar eu não vou aguentar, quero ir até o fim, mas isso está me corroendo por dentro pois se eu descanso um minuto eu já me vejo culpada. Me sentia com o amor de Ágape, hoje me sinto com amor de Éros. Só quero descansar meu consciente e não saber o que me espera no inconsciente. Já não quero saber de mais nada que me consome, pois estou farta, cheia, no limite. Não estou em condições de prometer nada, agora. Quero que tudo isso passe, como uma briza uma ampulheta, levando tudo que me faz doer por dentro.

Passa tempo, passe.

12 de mar de 2011

Des-Concerto

É difícil explicar como estou me sentindo diante te tanta situação irrelevante e incompreensível. Talvez eu esteja procurando as conclusões ou algum concerto pra tudo isso, fico um tanto perdida, confusa, fria, tento buscar as respostas da minha maneira, a maneira pior.
Sempre pensei que a melhor maneira seria buscar no meu silêncio, só deixando os meus pensamentos desvairados procurando onde está os erros em que não se encaixa a maneira em que foram cometidos, e por um insante acabo esquecendo do mundo, do meu mundo.
É sem querer, acontece por um acaso, não sei como, preciso saber. Talvez eu me arrependa depois, sempre acontece, minhas atitudes vem sem eu permitir, por pensar demais e me expressar de menos.
Por tentar entender as coisas injustas, acabo sendo injusta.

~~ x

5 de fev de 2011

(......)


...deitada pensando, analisando o que aconteceu, ja me senti assim antes, parecida como no dia dezesseis de março ou quinze de julho.
Nessa noite, deitada, não vejo nada, só o escuro, ou a luz do celular que se acende toda vez em que aperto o botão central, vejo três papéis de paredes coloridos, lindos, que mudam conforme eu toco na tela, gostaria de me sentir assim, como a sensação que essas cores trás. Vejo a data cinco de fevereiro bem no cantinho esquerdo, porque ja passou da meia noite e eu estou sem sono. Pequena distração pra me trazer o sono, mas foi não o suficiente, eu odeio me sentir assim, com um oco por dentro, escutando o som do nada, me sinto como se meu corpo estivesse aqui e meus pensamentos em outro lugar, o lugar que nunca estive.