28 de set de 2010

Nostalgia

Hoje acordei mais tarde que o normal dos meus dias, o sol trazia pela casa um vento quente entrando pelas janelas, os cachorros parecem sempre estar cansados, mesmo deitados, a terra das plantas pareciam estar rachando, as folhas das arvores parecem como se estivesse em um jogo de VideoGame quando aperta pausa, um mormaço que chegava a arder os olhos, o dia ja começou tenso, tô cansada disso, dias normais, sempre a mesma coisa, mãe chegando com os mesmos assuntos de problemas, irmão achando que é o dono do mundo só dizendo coisas desnecessárias, um babaca, quando precisa de mim é um doce, meu stress aumentando ao tentar entender muitas coisas, como se tudo isso fosse novidade. Tomei um banho gelado pra refrescar a cabeça. A casa estava tão vazia, fiz meu tereré do jeito que eu gosto (uma coisa boa), como todos os dias. Liguei o computador, abri minha lista de músicas no media player me senti enjoada, são sempre as mesmas, cansei. Abri todas minhas pastas de contatos que fazia tempo que não abria, era de costume abrir só a pasta "Makes Me Happy", são todas separadinhas entre os mais especiais e menos especiais. Muitos que estão em menos especiais ja esteve um dia, em mais especiais. E hoje não permaneceram porque o tempo revela aos poucos o que cada um é, e o que cada um merece, eu não queria aquilo pra mim. Eu sei, não sou perfeita e nem nunca fui, tenho meus erros, muitos erros, posso não admiti-los sempre, ou talvez eu não os enxergue da maneira certa, mas, tenho escolhas. Eu me sinto exausta, cansada dessa monotonia, cansada de quase tudo, mesmo que eu sinta falta de muitas coisas, não da pra voltar no tempo, como um dia foi. Eu me lembrarei de muitos acontecimentos bons, tenho certeza, foram marcantes, mas jamais voltariam a acontecer.O tempo trás muitas coisas, e tira muito mais. Não sei se quero tudo de volta, mas quero tudo o que eu mereça. Mas agora eu só quero você e a minha paz.

24 de set de 2010

Eu...

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas não tinha como ela aparecer e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!

"Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos".
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!
(Clarice Lispector)

13 de set de 2010

Loucura doce

É bem mais forte do que eu, meu coração bate forte e se desespera, quero muito esse momento. É uma sensação inexplicável e necessária. Fico inquieta e pensando mil coisas, vivo sonhando acordada, preciso de uma saida, mas que a saida seja aí. O medo e a ansiedade é o que me deixa mais desconfortável. Mas eu quero, eu preciso. Arriscar é a única maneira, mesmo que seja loucura, é uma loucura doce e nova que preciso fazer com urgência. Esperar muito esta me deixando sem ar. Sinto como se fosse uma saudade, saudade do que ainda não vivi ainda, como diz a Clarice 'a saudade é um dos sentimentos mais urgentes que existe'. Eu preciso sentir seu corpo em mim, escutar sua respiração, rir das suas gracinhas, te chamar dos apelidos mais fofos, conversar sobre tudo, te ver/fazer dormir, assistir filme contigo comendo pipoca, andar nas ruas cantando sem rumo, te lambusar de sorvete e rir, te deitar do meu colo e ficar te fazendo carinho, contar piadas sem graça, olhar nos seus olhos e dizer o quanto valeu a pena que te amo muito e não quero te dividir com ninguém.

2.000 km não vai ser uma barreira.

...por toda vontade que eu só encontro em ti...[♪♫]

3 de set de 2010

Meus medos

Outro dia me perguntaram 'do que você tem medo?' eu fiquei meio sem jeito, como se não tivesse entendido a pergunta e disse 'como assim? em que sentido?' respondeu - 'não sei, estou perguntando a toa'.
Depois parei pra pensar, refletindo, buscando, meus medos enterrados, escondidos. Eu tenho muitos medos. Tenho medo de me perder no escuro ficando sufocada visando apenas a cor preta, tenho medo de não conseguir realizar meus sonhos, tenho medo de viver o que ainda não entendo, tenho medo de dormir e não mais acordar. O maior deles é o medo da perda, dói como se fosse um martelo batendo sempre no mesmo lugar destruindo, quebrando, amassando, tirando o brilho e a cor. E tendo medo da perda, possui sem querer o medo do ganho, ganhar e depois perder, mais uma vez. Quanto aos outros medos, quero tranca-los pra não mais aparecer.